A plataforma aérea de trabalho está enquadrada na NR 11 – Norma Regulamentadora de número 11 – que se refere ao segmento de transportes, armazenagem movimentações e manuseio de materiais e cargas.

Tal documento, publicado pela primeira vez no ano de 1978, passou por algumas alterações ao longo do tempo e serve basicamente para regulamentar o trabalho nas operações de equipamentos usados nesses segmentos. Por essa razão, a Norma Regulamentadora nº 11 tem como objetivo principal evitar acidentes, atropelamentos e quedas durante a operação de tais equipamentos, como é o caso das plataformas aéreas de trabalho.

De acordo com o que determina a Norma Regulamentadora nº 11, o operador do equipamento precisa ter, no mínimo, ensino médio completo e ter recebido treinamento prático e teórico especializado para ser considerado qualificado a operar uma plataforma aérea, independentemente do tipo.

Outros procedimentos que podem minimizar os riscos no trabalho

Checar os itens de segurança da plataforma aérea, os equipamentos de segurança individual do operador (em casos de trabalhos acima de 2m de altura), verificar os controles de operações, rodas e pneus, conferir se os sistemas elétrico e hidráulico estão funcionando corretamente e realizar o checklist do equipamento são outros procedimentos que o operador deve realizar para diminuir as chances de ocorrer algum acidente de trabalho na execução de um serviço em altura por meio de uma plataforma aérea.

Caso o operador da plataforma verifique qualquer defeito no equipamento, ele deve informar o engenheiro responsável imediatamente para que ele entre em contato com a locadora da plataforma aérea e o reparo seja providenciado.